International Journal of Health Management Review https://www.ijhmreview.org/ijhmreview <p>A revista <strong>International Journal of Health Management Review (</strong><strong>JHM Review) </strong>está inserida no meio científico diante de um momento de reflexão sobre os desafios da gestão dos sistemas de saúde no Brasil e no mundo, visto que, os recursos em saúde estão cada vez mais escassos, o que torna um desafio tanto para esfera pública como privada. Este periódico é editado pela <a href="https://alumniin.com/inicio/" target="_blank" rel="noopener"><strong>Editora ALUMNI IN</strong></a>.</p> <p><strong>e-ISSN: 2526-1606</strong> | Ano de criação: 2015 | Área do conhecimento: <strong>Interdisciplinar e áreas correlatas</strong>| <strong>Qualis: B3</strong> (2013-2016).</p> <p>As mudanças que aparecem nos ambientes político, social, cultural, ambiental, tecnológico e econômico nos diversos países, refletem na maneira de gerenciar os recursos de saúde, demandando soluções práticas, claras e objetivas no cotidiano dos administradores inseridos nos sistemas de saúde.</p> <p>Neste contexto, a <strong>IJHMReview</strong> pretende contribuir com pesquisas voltadas a essas questões práticas, trazendo o conhecimento e entendimento científico de como melhorar a gestão em saúde, favorecendo a qualidade da assistência, otimização de recursos em saúde e consequentemente melhora da qualidade de vida das populações. Logo, os temas de interesse são:</p> <p>• Gestão em Saúde na prática do administrador hospitalar: aspectos estratégicos, táticos e operacionais;</p> <p>• Organização formal e informal dos serviços de saúde: liderança, negociação, comunicação, cultura;</p> <p>• Desafios, tendências e aspectos estratégicos na gestão de sistemas de saúde;</p> <p>• Gestão da qualidade dos serviços de saúde;</p> <p>• Gestão de custos dos serviços de saúde;</p> <p>• Aspectos e tendências das Políticas Públicas de Saúde, Saúde da Mulher, Saúde do Homem, Doenças Sexualmente Transmissíveis, Vigilância Epidemiológica e Sanitária, dentre outras;</p> <p>• Empreendedorismo e inovação no setor de saúde;</p> <p>• Gestão tecnológica no setor de saúde;</p> <p>• Gestão de Operações em Saúde;</p> <p>• Sistemas de informação gerencial em saúde;</p> <p>• Sustentabilidade do Setor Saúde;</p> <p>• Gestão de Crises nos sistemas de saúde;</p> <p>• Logística operacional no setor saúde; </p> <p>Como uma publicação científica, a <strong>IJHMReview</strong> prioriza estudos científicos, tanto empíricos quanto teóricos e relatos técnicos (trabalhos de caráter prático/técnico), casos reais ocorridos nos serviços e sistemas de saúde.</p> <p>A <strong>IJHMReview</strong> publicará artigos nos idiomas português, inglês e espanhol.</p> <p>A submissão de artigos ocorre exclusivamente por meio desta plataforma eletrônica, sendo que tais trabalhos serão avaliados por pares no sistema blind review.</p> pt-BR <p><strong>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</strong></p> <p>O(s) autor(es) autoriza(m) a publicação do texto na da revista;</p> <p>O(s) autor(es) garantem que a contribuição é original e inédita e que não está em processo de avaliação em outra(s) revista(s);</p> <p>A revista não se responsabiliza pelas opiniões, idéias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es);</p> <p>É reservado aos editores o direito de proceder a ajustes textuais e de adequação às normas da publicação.</p> <p>Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja O Efeito do Acesso Livre) em http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html</p> publisher@alumniin.com (Altieres de Oliveira Silva) publisher@alumniin.com (Staff Index Law) Mon, 19 Sep 2022 17:05:32 -0300 OJS 3.3.0.10 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Concordância Na Classificação De Neer Da Fratura Proximal Do Úmero https://www.ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/319 <p><strong>Introdução:</strong> As fraturas de úmero proximal são aproximadamente 4 a 5% de todas as fraturas, acometendo mais idosos do sexo feminino. Como método de tratamento, seja ele cirúrgico ou conservador, é preciso classificá-la para saber o prognóstico da fratura, para isso a utilização da classificação de Neer para úmero proximal, que é uma das mais utilizadas, baseia-se em partes fraturadas do úmero. Apesar de amplamente utilizada há dissociações de avalição e reprodutibilidade radiográfica, entre examinadores.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Avaliar a concordância inter e intraobservacional da classificação de Neer para fraturas da extremidade proximal do úmero em adultos.</p> <p><strong>Método:</strong> Foram selecionadas radiografias de 20 casos de fratura de úmero proximal, disponibilizadas para 35 examinadores (Ortopedistas, incluindo especialistas em cirurgia de Ombro e Cotovelo), que as classificaram de acordo com a classificação de Neer, em um período de 60 dias.</p> <p><strong>Resultados:</strong> Avaliando inicialmente os 35 avaliadores com diferentes níveis de experiência, em dois momentos diferentes, com comum intervalo de 60 dias entre uma avaliação e outra, a confiabilidade intravaliador, considerando a mediana, foi excelente 0,923 (IC 95% [0,610 - 1,237]), assim como a moda 0,925 (IC 95% [0,626 – 1,224]). Na avaliação dos 20 avaliadores com maior confiabilidade intravaliador (k&gt;0,5), a confiabilidade intravaliador, considerando a mediana entre os 20 avaliadores, foi excelente 0,923 (IC 95% [0,610 - 1,237]), assim como considerando a moda 0,855 (IC 95% [0,569 – 1,141]). Por fim, considerando os 20 avaliadores com maior confiabilidade intravaliador individual, a confiabilidade interavaliador na primeira avaliação (teste) foi leve 0,259 (IC 95% [0,239 – 0,280]), assim como na segunda avaliação (reteste) 0,289 (IC 95% [0,269 – 0,310]).</p> <p><strong>Conclusão:</strong> Este estudo evidencia que o sistema de Classificação proposto por Neer, seguindo o índice de Kappa, apresenta como resultado final uma categorização pobre de concordância, tanto intraobservacional quando interobservacional, das fraturas da extremidade proximal do úmero. Observou-se também uma confiabilidade menor (leve a desprezível) na analise interobservador. Desta forma, fica evidente a importância da utilização de outros sistemas de classificação e de métodos diagnósticos complementares, como tomografia computadorizada, para melhor avaliação e condução dos pacientes com fratura da extremidade proximal do úmero, objetivando a otimização do tratamento e reabilitação destes casos.</p> Francielly Teles Silva, Luiz Carlos Bedin Filho, Sávio Machado Torres, Marcelo Wiltemburg Alves Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://www.ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/319 Mon, 19 Sep 2022 00:00:00 -0300 Fraturas De Fêmur Proximal: Incidência Antes E Durante A Pandemia De Covid-19 https://www.ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/320 <p><strong>Introdução:</strong> A fratura do fêmur proximal é uma causa comum e importante de mortalidade e perda funcional. A incidência deste tipo de fratura aumenta com a idade, devido principalmente ao aumento do número de quedas associado a uma maior prevalência de osteoporose. É mais comumente relacionada com idosos moradores nas áreas urbanas, de sexo feminino e institucionalizados. A fratura do fêmur proximal pode ser intracapsular ou extracapsular. No primeiro tipo estão as fraturas do colo femoral, e no segundo, as fraturas transtrocanterianas, sendo que ambas decorrem de traumas de baixa energia, como quedas. O tratamento da maioria destas fraturas é cirúrgico, visando a redução e fixação estável da fratura, utilizando os mais variados métodos de osteossíntese ou artroplastia, especialmente no caso de fraturas do colo femoral com desvio.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Avaliar a incidência de fraturas de fêmur proximal antes e durante a pandemia de COVID-19.</p> <p><strong>Método:</strong> Trata-se de um estudo retrospectivo, com revisão sistemática de dados referentes ao número de procedimentos cirúrgicos de fratura de fêmur proximal nos anos de 2019 a 2021, correspondendo ao período antes e durante a pandemia da COVID-19, e demonstrar sua incidência e necessidade de atendimento, em um hospital particular do interior do estado de São Paulo.</p> <p><strong>Resultados:</strong> No período de estudo foram realizados 1.203 procedimentos. Foi possível notar o aumento gradativo dos casos durante os anos de pandemia, e um alto índice de fraturas de fêmur proximal em mulheres, chegando em 2022 a uma diferença de 62% em relação ao sexo masculino. A taxa de mortalidade durante a internação hospitalar foi de 2,39% em 2019, 2,78% em 2021, e 2,83% em 2022. Os fatores correlacionados positivamente com a mortalidade, indicados com maior frequência, foram a idade avançada, presença de doenças associadas, deficiência cognitiva importante e sexo feminino.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> A literatura recente, mesmo inserida no contexto de uma pandemia e de suas restrições, identificou quatro grandes fatores relacionados diretamente com a mortalidade nas fraturas do fêmur proximal do idoso, sendo eles a idade avançada do paciente, a presença de doenças associadas, o sexo feminino e a existência de deficiências cognitivas.</p> Thiago Henrique Abrão Bertholini, José Eduardo Sousa Prado, Maurício Ferraz Moreira, Daniel Novais Guedes Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://www.ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/320 Mon, 19 Sep 2022 00:00:00 -0300 Percepção dos Pacientes Em Relação Aos Benefícios da Intervenção Coronariana Percutânea Na Doença Arterial Coronariana Estável https://www.ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/321 <p><strong>Introdução:</strong> A intervenção coronária percutânea (ICP) é um procedimento comum para aliviar a obstrução de uma artéria coronária estenótica. As crenças dos pacientes sobre a necessidade do procedimento e sua eficácia são moldadas pela interação com os médicos assistentes. Sendo assim, toda decisão envolvendo o procedimento deve ser tomada de maneira conjunta entre o paciente e o médico, e este deve ajudar o sujeito a compreender a probabilidade dos benefícios esperados e os riscos a serem enfrentados na intervenção, atuando como um parceiro experiente.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Avaliar a percepção dos pacientes referente aos benefícios e riscos da ICP baseando-se em informações dadas pelo médico assistente.</p> <p><strong>Método:</strong> Por meio de um estudo descritivo longitudinal realizado com pacientes diagnosticados com Insuficiência Coronariana internados no HUSF.</p> <p><strong>Resultados:</strong> Ao analisar os benefícios esperados, numa fração da amostra, por meio da realização da ICP, 26% dos pacientes gostariam de evitar o infarto agudo do miocárdio, 26% queriam diminuir sua possibilidade de morrer, 10% buscavam viver mais, 40% desejavam diminuir as dores no peito, 5% gostariam de tomar menos medicamentos, 25% desejavam diminuir a dispneia e 15% não sabiam responder. Todos os pacientes disseram que os riscos do procedimento não foram abordados na conversa, e apenas um paciente sabia informar possíveis riscos por conhecimento prévio.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> Notou-se a existência de falhas na comunicação entre o médico e o paciente, evidenciada pela superestimação dos benefícios e subestimação dos riscos na realização da ICP.</p> Stefany Casarin Moura, Murillo de Oliveira Antunes Copyright (c) 2022 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://www.ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/321 Mon, 19 Sep 2022 00:00:00 -0300 Liga Acadêmica De Urgência E Emergência Pré-Hospitalar E De Pronto Atendimento (Lueppa) – Faculdade De Medicina De São Bernardo Do Campo :Relato De Experiência Da Gestão 2022-2023 https://www.ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/322 <p>O objetivo do presente estudo foi relatar a experiência da Liga Acadêmica de Urgência e Emergência Pré-Hospitalar e de Pronto Atendimento (LUEPPA) da Faculdade de Medicina Nove de Julho - Unidade São Bernardo do Campo - SP. As aulas ocorreram durante o primeiro semestre do ano de 2022, e foram ministradas por profissionais, em sua maioria médicos, que atuam em áreas específicas relacionadas a cada uma das palestras. A maior parte dos encontros ocorreu semanalmente, via <em>Google meet,</em> no período noturno. A montagem das aulas ficou a critério de cada palestrante, assim como a condução da apresentação, que variou desde a aula expositiva até a preleção dialogada, incentivando a participação dos presentes. Ao final das apresentações as dúvidas foram sanadas pelos palestrantes, criando um ambiente de interação entre os presentes. Como conclusão, entende-se que o trabalho das Ligas Acadêmicas deve ser incentivado pelas Faculdades e Universidades, não somente no curso de Medicina, mas também em outros cursos universitários, visto se tratar de um ambiente de aprendizado bastante produtivo.</p> Giulia Veneziani Zogaib, Maria Fernanda Marques Moncorvo, Roberto Nogueira Santana, Júlia Rugoni Perez, Karoline Barbosa da Silva, Beatriz Tesoni Marchiori, Lethicia de Almeida Bigollo, Maicon Ataide da Silva, Renato Ribeiro Nogueira Ferraz, Renato de Lima Rozenowicz Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://www.ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/322 Mon, 19 Sep 2022 00:00:00 -0300